Kafka de Crumb, de David Zane Mairowitz

Uma biografia em um tom leve, divertido e diferente das convencionais, apesar de falar do escritor considerado um dos mais sombrios da era moderna. Assim é o livro Kafka de Crumb, com desenhos de Robert Crumb e texto de David Zane Mairowitz, que não chega a ser uma HQ (história em quadrinhos) nem um livro propriamente dito, mas flutua entre ambos deixando uma gostosa sensação no leitor.

O livro traz o resumo, análise e desenhos das principais obras de Kafka: O Veredito, A Metamorfose, A Toca, Na Colônia Penal, O Processo, O Castelo, Um Artista da Fome e Teatro da Natureza de Oklahoma (ou Amérika). É um ótima introdução para quem deseja conhecer mais sobre o escritor considerado por muitos o marco na escrita do século XX.

A pesquisa detalhada da vida de Kafka é o tempero especial aos fãs de seus escritos. Desde a sua infância no gueto judeu – um lugar sombrio e cheio de lendas iídiches – como um menino franzino mas inteligente, em uma era onde o ódio anti-semita era assimilado mesmo pelos judeus, até a posição de submissão de Kafka perante as figuras mais fortes, como o pai, o avô açougueiro e o patrão na repartição pública, tudo influenciou os seus escritos. Kafka anotava em seu diário as maneiras mais insólitas em que poderia morrer no gueto. Não falava em suicídio, mas de desaparecer aos poucos até sumir por completo, sem que dessem pela falta dele. A Metamorfose é um exemplo claro do que se passava na mente perturbada de Kafka. Ele se odiava por ser judeu, por nunca estar à altura das cobranças do pai, por ter uma doença que o obrigava a escrever. Kafka não considerava escrever como algo bom, mas como uma maldição.

Sua capacidade de engolir seu medo dos outros e dirigi-lo contra si mesmo, em vez de contra sua origem, é a matéria-prima de toda sua obra.” (pg. 26)

A época e local em que Kafka viveu também foram conturbados. Havia ódio no ar, seja contra os judeus ou contra os alemães ou contra os judeus alemães. Kafka, um judeu checo mas que falava e escrevia em alemão, presenciou os movimentos nacionalistas que culminaram na Primeira Guerra Mundial. E o livro Kafka de Crumb mostra a sequência exata dos escritos de Kafka conforme os acontecimentos históricos e pessoais na vida dele. Também revela a dificuldade dele com as mulheres que passaram por sua vida, que o fizeram considerar o casamento tão opressor quanto as cobranças do pai. Kafka acreditava sempre acordar dentro de um pesadelo pior do que o dos sonhos, tanto é que nos livros A Metamorfose e O Processo a história começa com o personagem principal acordando.

David Zane Mairowitz escreveu também a biografia Introducing Camus, ilustrada por Alain Korkos, mas disponível, por enquanto, somente em espanhol e inglês.

Leia também a resenha:

leitura: Agosto de 2008
obra: Kafka de Crumb (Introducing Kafka), de David Zane Mairowitz
tradução: José Grandel
edição: 1ª, Relume Dumará (2006), 175 pgs
preço: Compare os preços no BuscaPé
Excelente
Postar um comentário