A Hora do Vampiro, de Stephen King


Não existe terapia em grupo, nem psiquiatra, nem assistente social para a criança que tem de lidar com a coisa debaixo da cama ou dentro do porão todas as noites, a coisa que a ameaça e provoca além do limite da visão. A mesma batalha é travada noite após noite, e a única cura é a eventual ossificação da imaginação, que também se chama idade adulta.

Alguns dias de abril são tão inesquecíveis quanto o toque da pessoa amada ou a sensação da boca desdentada do bebê sugando o seio.

Mark Twain disse que um romance era uma confissão de todos os crimes por um homem que nunca cometeu nenhum.

Questão de Tempo (About Time), EUA, 2013


Os verdadeiros problemas de sua vida sempre serão coisas que nunca passaram pela sua mente preocupada.

Nós (We), de Evgueny Zamiatin


O riso tem as mais variadas cores. O riso é apenas um eco distante de uma explosão interior, pode consistir numa salva de foguetes festivos azuis, vermelhos e dourados. E pode consistir de pedaços de corpo humano que arrebentou e subiu...

O homem é como nos romances: até a última página não se sabe como termina. Caso contrário não valeria a pena ler...

As dores são quantidades negativas que diminuem a soma daquilo que chamamos de felicidade.

Aquele casal no paraíso teve de escolher entre a felicidade sem liberdade, ou liberdade sem felicidade. Os tolos escolheram a liberdade e depois, durante séculos suspiraram pelas algemas.

Aquela mulher exercia sobre mim um efeito tão desagradável como o de um componente irracional que se introduz numa equação e não pode ser analisado.

A velocidade da língua em um segundo, deve ser muito menor do que a velocidade do pensamento em um segundo, e nunca o contrário.

Ela (Her), EUA, 2013


Às vezes eu escrevia algo e eu me tornava o meu escritor preferido naquele dia.

O passado é uma história que nos contamos.

Qualquer pessoa que se apaixone é uma aberração. É algo louco de se fazer. Uma forma socialmente aceitável de insanidade.

Não somos iguais ao que éramos no segundo anterior, e não devemos tentar ser. (filósofo Allan Watts)

O coração não é uma caixa que pode ser preenchida. Ele se expande por dentro, quanto mais você ama.

Top Five 2013: as melhores SÉRIES vistas durante o ano

Mesmo eu seguindo mais séries que as demais pessoas, creio que em 2013 me superei, consegui assistir a 30 delas. E sabe o que isto significa? Nada! como diria o Tadeu Schimidt. Talvez com mais opções a minha Top5 tenha ganhado em qualidade. As séries foram as que eu assisti durante o ano, não necessariamente lançadas em 2013. A lista está ordenada a partir da melhor delas.



1. House of cards (EUA, 2013). A Netflix resolveu entrar pra valer no mercado de produção de séries e inovou ao fazer algo de qualidade e disponibilizar todos os episódios da temporada de uma vez só, online. Kevin Spacey está perfeito em sua atuação como o senador corrupto-corruptor Frank Underwood, que não mede esforços para alcançar os seus obetivos. Manipulador, conta com a ajuda da sua esposa, tão maquiavélica quanto ele, e com as informações de uma repórter ambiciosa, interpretada pela deliciosa Kate Mara. As conversas de Frank com a câmera revelando seus pensamentos ao telespectador são outro diferencial. Baseado em um livro jornalístico que conta os bastidores do poder na Inglaterra, tem a sua segunda e última temporada marcada para fevereiro de 2014. (Assista ao trailer aqui).
2. A menina sem qualidades (Brasil, 2013). Quem diz que o Brasil não produz boas séries pode morder a língua. Só em 2013 fui apresentado a duas delas, mas acabei finalizando apenas uma. Baseado no romance da alemã Juli Zeh, traz o triângulo amoroso entre uma adolescente em sua autodescoberta, um rapaz manipulador e um professor exilado. Como já li o livro posso dizer que a adaptação ficou perfeita, mesmo na migração do ambiente do livro (Alemanha) para o da TV (Brasil). Os pais deveriam assistir junto com os filhos, embora eu acredite que ficarão chocados em descobrir o que pode (e deve) acontecer no ambiente escolar atual. Outro ponto alto é a bela trilha sonora. (Assista ao trailer aqui).



3. Please like me (Austrália, 2012). Indiquei esta série a um amigo pela temática gay e me surpreendi vendo algo que agrada até mesmo o mais reticente heterossexual. Josh Thomas é um cara que é pego de surpresa quando sua namorada termina com ele dizendo que ele é gay. Daí em diante, o que mais aparecem são situações hilárias, constrangedoras e dramáticas, permeadas de uma inteligência e sensibilidade que te deixam sorrindo o dia todo. (Assista ao trailer aqui).
4. American horror story: Asylum - 2ª temporada (EUA, 2012/2013). A segunda temporada de AHS conseguiu superar a primeira. Embora apareça uma salada de sub-temas (abdução, zumbies, nazistas, possessão, serial-killers etc.) a série já é uma das mais vistas a cada ano. Embora eu ache que o aspecto "terror" fique um pouco de lado, a parte do roteiro e personagens são muito bons. Destaque para a interpretação de Jéssica Lange, os papéis mais complexos e difíceis são os dela e mesmo assim vem dando um show de interpretação em muitas garotinhas por aí que concorrem ao Oscar. (Assista aos mini traileres aqui).

5. Sword art online (Japão, 2012). Faz tempo que eu não me animava com um anime, mas SAO é um prato cheio para quem já foi viciado uma vez na vida em jogos de aventura no video-game ou no computador. A série mostra um jogo futurístico aonde os jogadores acabam presos e podem morrer na vida real caso morram no jogo. Consiste em dois arcos diferentes, mas com praticamente as mesmas personagens em outras caracterizações. (Assista ao trailer aqui).

Veja também:
- Top Five 2012: as melhores SÉRIES vistas durante o ano
- Top Five 2011: as melhores SÉRIES vistas durante o ano

Top Five 2013: os melhores FILMES vistos durante o ano

A ano que passou trouxe algumas boas surpresas cinematográficas, e aqui deixo a minha lista dos 5 melhores que assisti (e alguns mais de duas vezes) e indico como boas opções aos amigos que não os conhecem. Os critérios da minha classificação são simples: um filme que me faça pensar ou deixe aquela sensação legal ao terminar; um que eu não me canse de rever quantas vezes ele estiver passando na minha frente, que eu indique aos amigos e a maioria também goste. A ordem abaixo é crescente do melhor dos cinco.


1. A caça (Jagten, Dinamarca, 2012). Concorrerá ao Oscar 2014 de melhor filme estrangeiro e já tem a minha torcida. Virei fã do ator Madds Mikkelsen o que me levou a assistir vários outros filmes com ele no ano. O cara é tão fera que foi chamado para protagonizar a série sobre ninguém menos que Hannibal Lecter mais novo. E o filme também trata de uma questão sensível, praticamente um tabu: uma menina acusa o professor de pedofilia, desde a sinopse do filme já sabemos que é uma mentira, mas as consequências que isso traz àquela pequena comunidade e ao professor são densamente exploradas. Faz-nos refletir sobre se os princípios jurídicos como o "ônus da prova" e "ser inocente até que se prove o contrário" nem sempre costumam ser respeitados pela comunidade. Um filme para ser discutido nas aulas do Curso de Direito, como eu fiz em algumas aqui. (Assista o trailer aqui).


2. Segredos de sangue (Stoker, EUA, 2013). Sou fã do diretor sul-coreano Park Chan-wook desde que ele dirigiu a clássica trilogia sobre vingança Simpatia pelo Senhor Vingança, Oldboy e Lady Vingança. Agora ele foi descoberto por Hollywood e com uma melhora no orçamento produziu esta pérola do suspense macabro. As interpretações deliciosas de Mia Wasikowska e Nicole Kidman como filha e mãe estão fan-tás-ti-cas. Faz tempo que eu não via a Kidman tão bem. A história começa meio que deixando no ar um mistério e vários assassinatos que nos fazem pensar logo que se trata de uma história de vampiros. E quem sabe não é? O filme também ganha pontos extras pela fotografia e trilha sonora. (Assista o trailer aqui).


3. Dentro da casa (Dans la maison, França, 2012). A França sempre me surpreende todo ano com algum filme memorável. A relação entre aluno e professor escritores que sai da ficção e adentra a vida de ambos é uma bela metáfora sobre a metalinguagem da escrita. A trama é bastante inteligente, como um quebra-cabeça que vai se montando (ou desmontando), e vale muito a pena ver mais de uma vez. (Assista o trailer aqui).


4. Rush: no limite da emoção (Rush, EUA, 2013). Se descobrir que uma das melhores disputas da Fórmula 1 ocorreu exatamente no ano em que eu nasci já foi uma surpresa, conhecer dois pilotos com personalidades tão diferentes como o calculista Niki Lauda e o passional John Hunt, sem que nenhum dos dois fosse retratado como vilão, acabou me conquistando e, na minha opinião, tornando-se o ponto forte do filme. (Assista o trailer aqui).


5. Procurando Sugar Man (Searching for Sugar Man, Suécia, 2012). Eu curto muito documentários, e este é um que todos deviam assistir. É daqueles que terminamos com um sorriso e uma sensação de que podemos ser pessoas melhores, e mesmo levando um vida simples, mudar o mundo. Depois do filme baixei toda a discografia do Sugar Man. Não sei se irá concorrer ao Oscar 2014, mas se for já tem o meu voto. Dica: não leia spoilers (revelações sobre o enredo) do filme, assista ele no escuro que será bem mais agradável. (Assista o trailer aqui).

Outras menções honrosas vão para A viagem (Cloud atlas, EUA, 2012), que me deixou com vontade de ler o livro quando este for traduzido por aqui, Branded (EUA, 2012), que mistura ficção e marketing, além de uns efeitos visuais bem doidinhos, e Hitchcock (EUA, 2012), cuja interpretação de Sir Anthony Hopkins está impecável.

Veja também:
- Top Five 2012: os melhores FILMES vistos durante o ano
- Top Five 2011: os melhores FILMES vistos durante o ano

Azul é a cor mais quente, de Julie Maroh


O amor é abstrato demais, e indiscernível. Ele depende de nós, de como nós o percebermos e vivemos. Se nós não existíssemos, ele não existiria. E nós somos tão inconstantes... Então, o amor não pode não o ser também. O amor se inflama, morre, se quebra, nos destroça, se reanima... nos reanima. O amor talvez não seja eterno, mas a nós ele torna eternos... Para além da nossa morte, o amor que nós despertamos continua a seguir o seu caminho.

Top Five 2013: os melhores LIVROS lidos durante o ano

Costumeiramente nos últimos anos costumo escolher os cinco melhores livros, filmes, HQs e séries que vi durante o ano. Este é o post em que menciono quais os cinco melhores livros lidos em 2013. Dentre os 92 que li, somente 30 classifiquei com a nota Excelente, e destes escolhi cinco, sendo que três deles são compostos por mais de um volume. Sim, isto porque considero séries como um livro único, aonde qualquer leitor é capaz de continuar a história do momento em que parou no volume anterior. E se mais de um volume da série ficou com a nota Excelente, Muito bom ou Bom, ela já merece pelo menos ser digna de atenção. Bem, ficam as 5 leituras como minhas recomendações para os amigos.


1. O SENTIDO DE UM FIM, de Julian Barnes (2011, Rocco). Uma das exceções (senão A exceção) dos livros que li no ano e me convenceu a não vendê-lo após a última página. É, tem livros que simplesmente te conquistam e pedem para te acompanhar mais um pouco. É filosófico e provocativo, exatamente o tipo que me conquista. Ele levanta a teoria, a hipótese, talvez a realidade não percebida, de que o passado que acreditamos ter vivido é mero fruto imperfeito de nossa memória nada imparcial. Assim como a História costuma ser narrada (e em grande parte inventada) pelos vencedores, a nossa história pessoal é narrada por quem sempre vai querer justificar os nossos erros, esquecer os nossos pecados, amenizar as nossas falhas, a nossa boa e velha memória, capaz de incriminar outros mais do que deviam só para encontrarmos paz sob os travesseiros. Ah, o livro ganhou o Booker Prize 2011. Um livro que merece ser relido, até porque a minha memória pode ter me enganado a respeito.


2. A DIVINA COMÉDIA (Inferno, Purgatório e Paraíso), de Dante Aliguieri (1304-1321, Editora 34). Uma das obras-primas literárias da humanidade, e independente se você é religioso ou ateu, cristão, católico ou evangélico, merece ser lida pelo seu conteúdo histórico, literário, artístico ou, como dizem os críticos, enciclopédico. A edição bilíngue da 34 contém excelentes notas de rodapé e o texto em italiano antigo. Eu, particularmente, gostei bem mais do Inferno e Purgatório, sendo que o Paraíso, apesar de excelente, acaba um pouco apagado frente à força dos anteriores. Vale a pena lembrar que toda a concepção imaginária que os cristãos e ocidentais passaram a ter sobre como seriam o inferno, purgatório e paraíso começaram em Dante. E foram poucos os escritores que mudaram o pensamento do mundo com tamanha intensidade.


3. A MENINA SEM QUALIDADES, de Juli Zeh (2004, Record). Um livro que resolvi ler exclusivamente por causa da série da MTV Brasil. Uma história provocadora e inteligente, que estimula a leitura de outros livros, alguns deles citados aqui neste post. A literatura alemã costuma ser densa e reflexiva, por isso eu não recomendaria o livro à maioria dos adolescentes brasileiros (há exceções, eu sei, mas a estas eu recomendaria qualquer leitura que existe). A adaptação televisiva ficou bem fiel, trocando a maioria das referências literárias e culturais europeias por latino-americanas. E o livro de Zeh é um daqueles que "puxam" outras leituras, principalmente aquele a que o título em português faz referência, O homem sem qualidades, também do alemão Robert Musil. Veja também a resenha que escrevi do livro.


4. A CRÔNICA DO MATADOR DO REI [série] (Primeiro dia: O nome do vento e Segundo dia: O temor do sábio), de Patrick Rothfuss (2007-2011, Sextante). Enquanto a continuação da série As crônicas de gelo e fogo, de George R. R. Martin, não dá sinal de vida, esta é uma ótima opção para quem quer fantasia um pouco mais adulta que Harry Potter. A leitura ainda é bastante infanto-juvenil, mas não infantil, justamente por acompanharmos as aventuras do jovem Kvothe, lendário músico, esgrimista, conquistador e mágico enquanto não era nada disso. Você pode ou não gostar do jeito que a magia é tratada na série, mas vai ter que admitir que é original e se encaixa na trama. O terceiro e último livro da série se chama As portas de pedra e não tem previsão de lançamento. E, sinceramente, acredito que pela quantidade de mistérios que faltam serem resolvidos no último livro, se o autor resolvesse dividi-lo em dois ou três eu não estranharia.


5. A TORRE NEGRA [série] (O pistoleiro, A escolha dos três, As terras devastadas, Mago e vidro, Lobos de Calla, Canção de Susannah e A torre negra), de Stephen King (1982-2004, Suma de Letras). Se alguém me perguntasse daqui a alguns anos o que marcou as minhas leituras do ano de 2013 a resposta estaria na ponta da língua: foi o ano em que li os 7 volumes de A torre negra. Baseada num poema obscuro e na saga O Senhor dos Anéis, de J. R. R. Tolkien, Stephen King conseguiu misturar faroeste, viagens no tempo, universos paralelos, referências a músicas, filmes e outras histórias fantásticas, de uma maneira tão bem tecida que o final das mais de 5 mil páginas deixam saudade no leitor. Para os que se sentem um membro do Ka-Tet de Roland, Eddie, Jake, Susannah e Oi, em 2013 foi lançado outro livro adicional à série, O vento pela fechadura, que segundo o autor, situa-se entre o 4º e o 5º livros, mas que não prejudica a sequência, pelo contrário. O livro também faz referências a outros do autor, sendo que A hora do vampiro e Insônia estão bastante relacionadas com a trama.

Outras menções honrosas de 2013 ficam com: Anna Kariênina (Tolstoi), O jogo do exterminador (Scott Card), Os três mosqueteiros (Dumas), Clube da luta (Palahniuk) e Laranja Mecânica (Burgess).

Revista Arte e Letra: Estórias W, diversos autores


A solidão é a escada para a adega do pensamento. Naturalmente, ela é inútil para aqueles que não têm nada em estoque. 
(do conto A Moça Selvagem de Ohio - Joachim Ringelnatz) 

Tentamos enganar o tempo para que perca o interesse em nós. O vagar é corajoso, pressupõe uma confiança; a pressa é a ausência da credibilidade num ritmo natural. 
 (do conto Inácia - Ana Teresa Jardim)

Livros Adquiridos em 2013

Chegamos à minha última lista estatística de 2013, sendo esta a mais complexa, dolorosa e prazerosa para mim. A lista em que comprovo matematicamente que ler dá lucro. Isso porque compro os livros que quero em promoções, leio e depois vendo eles ao preço normal. É, eu descarto facilmente dos livros que já li como quem troca de roupas, pratico a arte do desapego, principalmente pensando que se o livro vai ficar empoeirando na minha estante até algum dia eu resolver relê-lo, é melhor ele estar nas mãos de outro que o queira ler e eu com mais dinheiro na carteira. Assim, consegui não aumentar muito a minha biblioteca particular, apenas 25 livros no total, somando e subtraindo compras, vendas, trocas e presentes.


COMPRAS: Em 2013, comprei 193 livros gastando o total de R$ 5.291,90. Um aumento de R$ 1.110,30 e 49 livros em relação a 2012. A média mensal de gastos com meus preciosos ficou em R$ 441,00 em 16 livros, ou seja, R$ 27,56 por livro. Retirando os livros que comprei para revender, consegui adquirir alguns clássicos em promoções, mas ainda assim caros, como: A Dança da Morte (Stephen King, Objetiva, R$ 49,95), A Comédia Humana vols. 1 e 4 (Balzac, Globo, grátis e R$ 42,71), a dificílima edição de Teatro Completo: Tragédias (Shakespeare, Agir, R$ 79,82), Os Miseráveis (Victor Hugo, Cosac, R$ 90,80) e Guerra e Paz (Tolstói, Cosac, R$ 59,50). Muitas das aquisições foram através de créditos no Skoob, mesmo sendo livros que valem bem mais que R$ 9,90 (1 crédito) ou R$ 19,80 (2 créditos), como: O Conde de Monte Cristo (Alexandre Dumas, Cosac), Alice: Edição Comentada (Lewis Carroll, Zahar) e 47 Contos de Isaac Bashevis Singer (Companhia das Letras). Como meta para 2014, quero gastar menos com livros para ler, pois já tenho muita coisa boa na minha estante, embora deva manter as compras para revenda.

VENDAS: Se comprei 49 livros a mais que em 2012, acabei vendendo 3 vezes mais, saltando em um ano de 52 para 156 livros. Assim, consegui angariar R$ 7.821,45, em uma média de R$ 50,14 por livro. Se deduzirmos os R$ 5.291,90 que gastei comprando os 193 livros, obtive um lucro de R$ 2.529,55 + 37 livros em estoque. É o primeiro ano que minhas compras e vendas ficaram no azul, até então eu sempre gastei mais que ganhei. Espero ter pego o jeitinho de lucrar com aquele que não posso mais chamar de meu principal hobby, pois ler já faz parte natural da minha rotina diária, e hobbies são coisas que fazemos só quando temos tempo de sobra. Para 2014, quero vender aqueles livros que comprei em anos anteriores e foram ficando encostados na minha biblioteca. Como eu já disse, melhor é ter dinheiro no bolso que livro envelhecendo sozinho e abandonado. Também estipulei como meta para 2014 vender 95% de tudo o que eu ler, só mantendo comigo aqueles que realmente fizeram e farão diferença na minha vida.


TROCAS: A quantidade de trocas também se estabilizou, sendo que este ano praticamente o que entrou também saiu. Porém, saiu bem mais que nos anos anteriores. Eu praticamente parei de usar o www.trocandolivros.com.br pois já não encontrava boas opções por lá. Seria preciso ficar acessando toda hora para pegar uma ou outra coisa boa que aparecesse, e quem hoje em dia tem tempo pra gastar com isso, não é? Já o Plus do www.skoob.com.br continua indo bem, obrigado, com ótimas oportunidades tanto para solicitar quanto para ser solicitado. Recomendo muito!

PRESENTES: Este ano resolvi ser generoso e presentear mais quem eu gosto com livros. Apesar de eu não sentir mais tanto prazer ganhando livros (vai depender muito do livro e de quem o deu), ainda assim fico feliz em ver os olhos de alguém brilhar quando ganha um livro meu. Uma dica: se o presenteado ler o livro rapidinho depois que o ganhou, é porque gostou do presente; se enrolar, ou é porque não gostou ou porque o livro deve ser enorme. Me livrei de alguns livros jurídicos que não leria mais, e usei o Fórum Valinor para enviar e solicitar livros (não em forma de troca, mas disponibilizados para quem quisesse mesmo).


Dos 92 livros que li em 2013 (veja a lista aqui) mais da metade foi de livros que adquiri durante o ano. Esta é uma média que pretendo baixar. Comprando menos livros para mim em 2014, devo ler mais livros comprados em anos anteriores. Abaixo, segue a lista de todos os 288 livros que adquiri no ano.

Sutil


Filmes, curtas, séries e shows vistos em 2013

A minha segunda lista neste começo de 2014 se refere a todos os filmes, séries, shows e curtas que assisti em 2013. Uma lista mais para relembrar todas as coisas boas que vi durante o ano e para poder retirar os 5 melhores filmes e as 5 melhores séries, que estarei citando em duas postagens separadas.


Este ano, acrescentei duas tags que não existiam nos anos anteriores: [show] e [curta]. Assim consigo mensurar melhor os curta-metragens que vi bem como os shows gravados (os que vi ao vivo não entram na lista). As duas novas tags fizeram com que a quantidade de filmes caísse bastante, mas que ficasse mais realista. Não que em 2011 e 2012 eu não tivesse visto nenhum show ou curta, mas eles encontram-se incluídos na coluna filmes.


Se juntar as notas Excelente, Muito bom e Bom chego a ficar satisfeito com 72% de tudo o que assisti. É uma boa porcentagem, na minha opinião. Na comparação das notas entre 2012 e 2013, notei que a quantidade de filmes/séries vistos caiu, mas a proporção de Regulares/Ruins meio que se manteve nos 30%.


Para quem quiser conferir na lista abaixo, os em azul são os que dei nota Excelente e os em vermelho nota Ruim (fuja destes, pelo amor dos seus filhinhos!).

Leituras em 2013

Todo início de ano é a época de eu postar as minhas listas de leituras, compras de livros e dos Top5 do ano que passou, com graficozinhos e análises e outras frescurites. Não é para me gabar e sim para que eu possa fazer um comparativo de se evoluí ou não nas minhas metas literárias. Então vamos lá, comecemos pela quantidade de livros lidos no ano: 92. Isto dá as seguintes médias:
  • 8 livros por mês (era 11 em 2012);
  • 22.057 páginas lidas no total (22.790 em 2012);
  • 1.838 páginas lidas por mês (1.900 em 2012);
  • 60 páginas lidas por dia (63 em 2012).
Houve uma pequena queda nas médias, principalmente por culpa das viagens de dezembro (Rio de Janeiro e Pirenópolis), o que trouxe como consequência a leitura de apenas 3 livros no último mês do ano. Percebi que ainda não tenho ritmo de leitura em viagens. É algo a se pensar.


Houve uma queda de 28,12% na quantidade de livros lidos entre 2012 e 2013, conforme eu já havia previsto no tópico Leituras em 2012, devido à segunda das minhas Resoluções Literárias para o ano: ler mensalmente um livro acima de 500 páginas, trazendo naturalmente uma queda na quantidade. Para quem tiver preguiça de conferir a lista total de livros lidos abaixo, adianto que só em novembro não atingi esta meta, embora tenha lido dois livros que passaram das 400 páginas.


No quesito qualidade dos livros lidos, houve uma melhora expressiva. Em 2013, não classifiquei como Ruim nenhum livro dos que li, e os Regulares (que mais perto chegaram de serem Ruins) caíram de 32 para 12. Ou os livros que li foram melhores ou então eu fiquei menos exigente. Vai saber. E, somando os com nota Excelente, Muito bom e Bom, alcancei 87% (80 livros) de satisfação garantida.


O mês que mais li foi em julho (11) e o que menos li em dezembro (3). No primeiro, férias na casa dos meus pais, no segundo, férias em outros lugares. Para ver como as férias podem ou não afetar o seu ritmo de leituras, dependendo do local. Abaixo, segue a lista de todos os livros lidos em 2013.

7 de Janeiro - Dia Nacional do Leitor

Aforismos Novembro-Dezembro 2013


Escolha qual você gostou mais. Todos escritos por Jefferson Luiz Maleski. Se quiser replicar algum deles, só peço para que mencione a autoria, ok?

A ressaca existe pra te lembrar que depois da bonança sempre vem tempestade.

Muitas vezes, onde há fumaça não há fogo, há apenas alguém querendo atiçá-lo.

O amor engorda e a falta de amor emagrece. Com o cigarro é o contrário.

Happy hour bom mesmo precisa ter happy end.

Eu sou o Giacomo Casanova dos livros: antes de lê-los eu os desejo ardentemente, mas depois os descarto facilmente.

as pessoas nunca serão como nós queremos assim como nós nunca seremos como as pessoas querem

Toda vez que brigávamos ela tinha um desejo louco de transar. E, naqueles dias, costumávamos brigar a todo momento e em qualquer lugar. Quando finalmente começamos a nos entender, terminamos.

Eu sinto inveja das pessoas que sentem inveja.

O Lobo Mau que revela ser um lobo mau não quer saber de Chapeuzinho Vermelho; ele quer é encontrar uma loba má.

Entre fazer algo ou não e depois se arrepender, escolha sempre a primeira opção. A culpa será passageira pois você conhecerá as duas opções.

Tudo tem limites e há um limite para tudo. É por isso que imponho limites aos meus limites.

Filmes & Séries Vistos - Dezembro 2013

8 filmes

242. ender's game: o jogo do exterminador (ender's game) - eua, 2013 - muito bom
243. a vida secreta de walter mitty (the secret life of walter mitty) - eua, 2013 - excelente
244. o atentado (l'attentat) - frança/líbano, 2013 - muito bom
245. se enlouquecer, não se apaixone (it's kind of a funny story) - eua, 2010 - bom
246. o hobbit: a desolação de smaug (the hobbit: the desolation of smaug) - eua, 2013 - regular
247. o hobbit: a desolação de smaug (the hobbit: the desolation of smaug) - eua, 2013 - regular
248. a espuma dos dias (l'écume des jours) - frança, 2013 - muito bom
249. os suspeitos (prisoners) - eua, 2013 - bom

Singelamento


Livros Adquiridos - Dezembro 2013


14 livros = -R$ 179,33

275. a casa de hades - rick riordan - intrínseca - r$ 9,90 - www.skoob.com.br
*276. eles eram muitos cavalos - luiz ruffato - companhia das letras - r$ 6,90 - www.fnac.com.br
*277. saga plantageneta vol. 8: as loucuras do rei - jean plaidy - bestbolso - r$ 13,00 - www.fnac.com.br
*278. noites de alface - vanessa bárbara - objetiva - r$ 22,70 - www.fnac.com.br
*279. retrato do artista quando jovem - james joyce - alfaguara - r$ 11,70 - www.fnac.com.br
280. the walking dead: a ascensão do governador - robert kirkman - galera record - r$ 10,64 - www.submarino.com.br
281. the walking dead: o caminho para woodbury - robert kirkman - galera record - r$ 10,64 - www.submarino.com.br
282. hagakure - yamamoto tsunetomo - conrad - r$ 54,26 - www.estantevirtual.com.br
283. muito além do nosso eu - miguel nicolelis - companhia das letras - r$ 9,90 - www.skoob.com.br
284. os amores difíceis - italo calvino - companhia das letras - r$ 9,90 - www.skoob.com.br
285. o dom da amizade: tolkien e c.s. lewis - colin duriez - nova fronteira - r$ 9,90 - www.skoob.com.br
286. a zona morta - stephen king - objetiva - r$ 9,90 - www.skoob.com.br
287. a vida como ela é... - nelson rodrigues - agir - troca - www.skoob.com.br
288. o pistoleiro - stephen king - objetiva - troca - www.skoob.com.br

*Black Friday

Minhas Leituras - Dezembro 2013


3 livros = 1151 páginas

90. kardec (2011) - carlos ferreira & rodrigo rosa - barba negra - 144 pgs - bom [hq]
91. a torre negra vol. 7: a torre negra (2004) - stephen king - suma de letras - 871 pgs - muito bom
92. a invenção de morel (1940) - adolfo bioy casares - cosac naify - 136 pgs - muito bom