A Roda

De um lado, milhares de roupas brancas vestindo pessoas, cartazes gritando frases de efeito e indignação contra a surdez da corrupção e do descaso. Do outro, fardas cinzas e negras mal remuneradas, mal treinadas, mal-amadas, cumprindo ordens, aguardando o inevitável. No centro, lentes e flashes capturando e transmitindo em tempo real ações e reações excessivas. O momento é tênue. Um grupo, mas apenas um pequeno grupo – expressão que se repetiria à exaustão nas próximas semanas, locais e mídias – não aceita o não da parte contrária. A violência é moeda de troca; paga à vista e com juros acumulados. Começa a guerrilha. As linhas divisórias se confundem. Manifestantes atacam policiais. Policiais, repórteres. Repórteres, manifestantes. Manifestantes, repórteres. Repórteres, policiais. Policiais, manifestantes. Manifestantes, manifestantes.

A cena congela na imagem do policial hostilizando o cinegrafista.

Ninguém corre. Nada explode. Ninguém bate, apanha, luta, grita, ordena, chora, tosse, engasga. Barulho não ouve. Movimento não vê. Em um milionésimo de segundo que parece e na verdade é uma eternidade, duas mulheres atravessam a multidão despercebidas, tranquilas, entediadas.

- Tenho que admitir, minha cara, desta vez você me surpreendeu. Mídia e força policial estavam do meu lado, e seu spray de pimenta acabou de partir esse elo.

A outra não consegue disfarçar a satisfação ao ouvir a mais velha.

- Aprendi muito bem com você, irmã, que toda peça pode estar ao seu comando ou ao meu, e mesmo aquelas que você controla podem virar-se umas contra as outras.

- Mas não tenha dúvidas, a sua vitória é passageira, como sempre acontece.

- Admito que sim, mas as minhas vitórias formam as bases para a reformulação do seu discurso.

- E eu mudo mais uma vez de roupa. Cores novas, tecido novo, talvez até um modelito de vanguarda, porém sempre cobrindo o mesmo corpo.

- Amham. Mas, querida irmã, você já se perguntou qual de nós duas afinal está certa? Quem sairá vencedora depois de tantas eras?

- Nenhuma, minha cara. Ambas somos necessárias. Eu mantenho a ordem, o status quo, e asseguro o comodismo e as bases para a paz. Você traz o descontentamento daqueles que não gozam desta paz e almejam o lugar dos que a têm. Nós somos os raios que sustentam a eterna Roda de Samsara.

A caçula concorda silente. E, assim que Tradição e Revolução dobram a esquina, a cena descongela.


O pior efeito da guerra: matar quem você é

Imagine um livro relativamente novo, com apenas 28 anos desde a sua publicação inicial, tornar-se um título obrigatório em qualquer lista de melhores livros de ficção-científica de todos os tempos, junto com as obras de autores como Júlio Verne, Isaac Asimov, Arthur C. Clarke, Ray Bradbury, entre outros. É justamente o que aconteceu com O Jogo do Exterminador (Ender’s Game), de Orson Scott Card. A estória do menino enviado para um treinamento militar no espaço, aonde sentimentos humanos devem ser sufocados e o instinto psicopata incentivado, antecipou em alguns anos enredos similares atuais de sucesso como Jogos Vorazes (Suzanne Collins) e Divergente (Veronica Roth).

O que faz com que o livro continue atual e procurado são as questões éticas pelas quais não só o menino Ender se depara a cada decisão, mas também os conflitos de seus superiores militares. Vale a pena destruir a inocência de um garoto para salvar toda a humanidade? Ou: seria justo atacar um antigo inimigo que não oferece mais perigo? Alguns poderiam nomeá-lo como basicamente um romance de formação. Mas o enredo consegue ir além, questionando a moral existente no extermínio de raças e o alto preço que as guerras cobram.

O livro, além de ganhar os dois prêmios prêmios de ficção-científica - Nebula em 1985 e Hugo em 1986 - garantiu seis sequências na saga de Ender se passando em diversos pontos da galáxia. A estreia do filme adaptado na obra acontecerá em novembro de 2013, com atuações de Harrison Ford, Ben Kingsley e Asa Butterfield (do filme O Menino do Pijama Listrado). Veja o trailer:



Esta resenha é fruto da parceria com o Empório Gourmet e sua nova seção "Livros que Merecem Bons Vinhos".

Encontre os melhores preços do livro no
Buscapé

Calvin #6


O Inferno pode ser aqui

Ele pode ser chamado de escritor de fórmulas prontas e repetitivas; de levantar teorias conspiratórias das mais improváveis contra instituições - conhecidas ou não - somente para promover os seus livros. Mas o estadunidense Dan Brown nunca poderá ser acusado de não fornecer uma gama de informações e curiosidades sobre personagens históricas, lugares e obras de arte como pinturas, arquiteturas, esculturas, livros etc. em suas tramas. Seus livros são verdadeiros guias turísticos para as cidades em que a ação se desenrola. E esta característica se mantém no livro Inferno, lançado em 2013 pela Editora Arqueiro.

A aventura acontece nas cidades de Florença, Veneza e Istambul, onde o leitor é levado a um passeio pelos principais pontos turísticos, ao sabor dos escritos de Dante Alighieri e das obras de arte influenciadas por A Divina Comédia. Na trama, mais uma vez cabe ao professor de simbologia, Robert Langdon, a tarefa de desvendar as pistas que levarão até a captura do vilão e salvar o mundo de uma ameaça global.

Também são levantadas algumas questões filosóficas, éticas, religiosas ou científicas para o leitor, sendo uma delas: se você pudesse apertar um botão que matasse na hora metade da população mundial indistintamente ou não apertar e ver toda a raça humana se extinguir em algumas décadas, o que escolheria? Os fins justificariam os meios? Se você não sabe o que responder ou ainda não pensou sobre isso, na verdade já fez a sua escolha, conforme demonstra o livro.

Esta resenha é fruto da parceria com o Empório Gourmet e sua nova seção "Livros que Merecem Bons Vinhos".


Efeito Dominó

- Cadastro, Sandoval, bom dia.

- PORRA, SANDOVAL, CÊ TÁ QUERENDO ME FODER?

- Er… não, eu nunca… senhor diretor? – pergunta Sandoval com uma voz dois tons mais baixos.

- Tá querendo sim, e nem vai pagar um jantarzinho antes? Não vai me chamar de meu amor? Não vai me levar pra passear no shopping antes não? Vai assim, na tora, diretão, Sandoval?

- Não, senhor – responde a voz agora quatro tons mais baixos.

- Então me explica que porra é esse perfil que você enviou pra mim. Eu tenho certeza que pedi uma coisa simples até mesmo para uma mente limitada como a sua. Levantar o perfil de uma família comum, um perfil que fosse totalmente similar à grande maioria dos perfis, uma droga de perfil que não se destacasse dos demais. E você me manda o perfil da porra duma velhinha que cuida sozinha do neto? Que porra de família comum é essa, Sandoval? Me diz, Sandoval! Anda!

- Err… bem, senhor diretor… se o senhor deixar eu posso explicar…

- O que você está esperando, lerdeza? EX-PLI-QUE-SE ou começo a procurar agora outro para colocar no teu lugar e te transfiro direto pro almoxarifado!

- Não, o almoxarifado não, por favor! – ouve-se um som de algo raspando para descer pela garganta – O senhor havia solicitado o levantamento de um perfil comum, que não chamasse a atenção do sistema.

- Sim. Pai, mãe, filho, filha e cachorro – responde o diretor enquanto brinca com a gravata vermelha.

- Então, acontece que hoje o perfil típico das famílias beneficiadas mudou. O que a alguns anos era padrão hoje é a exceção. Os perfis que não chamam a atenção do sistema são justamente aqueles que outrora eram considerados atípicos: somente mãe e filhos, ou avós e netos, ou casais do mesmo sexo, ou famílias de um único membro. Assim, enviei para o senhor o perfil de uma avó que cuida do neto, que hoje é o que mais aparece cadastrado no sistema.

- Peraí, você tá me dizendo então que o perfil de uma avó com o neto é o que menos chama a atenção no sistema?

- Sim, senhor.

- E que esse é o perfil que mais aparece cadastrado?

- Sim, senhor.

- Bom trabalho, Sandoval. Aliás, excelente ideia esta a que eu tive de te passar essa tarefa! Eu sou um verdadeiro gênio! Tenha certeza de que vou me lembrar de você na próxima promoção interna que tiver, pois esta promoção vai ser a minha, rárárá.

- Sim, senhor.

- Sandoval, só tem mais uma coisa…

- Pois não, senhor diretor.

- Esqueça totalmente esta consulta que fez para mim.

- Que consulta?

- Isto mesmo, garoto. Até mais.

- Até mais, senhor dir… Puxa, desligou…



****



- A próxima, por favor. Senhora? SENHORA? Venha aqui, por favor, me deixe ver qual é a sua senha… cento e setenta e um, é a sua vez, senhora, pode se sentar, por favor. Puxe aquela outra cadeira ali para o garoto. Isso. Agora, em que posso ajudá-la?

- O cartêro deu essa carta i meu mininu leu que era pra eu cumparecê aqui na agênça.

- Só um instante, deixa eu ver… mmmmm… comparecer… nhã nhã nhã… urgente… hummmm… cadastro… ah, sim, só um minuto que eu vou chamar o responsável para conversar com a senhora – a mulher levanta-se e desaparece por uma porta levando a carta junto.

- Vó, vó, ô vó – o menino puxa a manga da blusa de crochê da idosa.

- Qui fôi mininu, quéta um pouco, num vê que a vó tá ocupada? Taqui ó, a vó trouxe umas bolacha procê cumê. Pega, é daquelas di bichim que tu gosta…

- Senhora Maria das Graças? – pergunta um homem acompanhado da atendente.

- Sim, sinhô.

- Meu nome é Aroldo, da corregedoria interna. Nós chamamos a senhora aqui depois que o sistema detectou uma incongruência nos pagamentos do seu benefício.

- Num sei u que é isso não sinhô.

- É um erro, uma falha, algo incorreto que vem acontecendo na sua conta. Graças a um novo programa de monitoramento instalado esta semana, o sistema acusou que a senhora vem recebendo em sua conta há um ano e meio perto de um milhão de reais. A senhora sabia disso?

- Sei não sinhô. Um mião é muita coisa?

- É mais do que a maioria dos beneficiados recebe. Bem mais. Mas nós já pesquisamos os saques e descobrimos que a maior parte do dinheiro foi transferida para fora do país via internet. A senhora acessa a sua conta pela internet, dona Maria?

- Sei disso não sinhô. Eu té queria comprá um computadô pru mininu istudá, mais é mutcho caro.

- Infelizmente, o seu benefício terá de ser suspenso para investigação.

- Vó, vó, ô vó…

- Quétu, mininu – ralha a velha dando um beliscão no bracinho magrela – Pelamordedeus, moço, cumé qui nóis vamu fazê pra cumê, seu moço? – os olhos marejados fixam na atendente – Como vô comprá us meu remédiu? Ceis sabe quanto custa cuidá di mininu? Esse não é meu filho mas crio como si fosse. É meu neto, que a mãe largou comigo antes de sumir no mundo. Num tenho parente, num tenho fio, num tenho ómi pra ajudar, num tenho força pra trabaiá, num tenho mais nada além desse dinheirinho que cai todo mês na minha conta. É pouco, mas dá pra vivê. Mas sem ele o sinhô vai tá matando a gente.

- Aroldo, quem sabe se a gente não falasse com o superintendente sobre o caso da dona Maria – sugere esperançosa a atendente – vai que ele encontra uma outra solução para ela.

- Podemos tentar, Márcia, mas não sei vai ser possível. O caso dela é grave.

- Não custa tentar. Por favor, eu vou com você e ajudo a explicar pra ele.

- Senhora, por favor aguarde aqui enquanto subimos para falar com o superintendente. Não deve demorar. Vamos, Márcia – e ambos voltam a desaparecer pela mesma porta de antes.

- Vó, vó, ô vó…

- Qui foi mininu? Parece qui tem furmiga na bunda qui num fica quétu!

- Aquele ómi lá atrás, aquele lá narigudo, com o negóço vremei no pescoço, num é o que foi lá em casa?

- É ele sim mininu, agora fica quétu si ainda quizé ganhar aquela bicicretinha qui a vó prometeu. Enche a boca di bolacha e fica bunitinho, do jeito qui a vó gosta – e acaricia a cabeça do menino que obedece.



****



- O seu rosto não me é estranho.

- Já me disseram isso antes, eu devo ser um daqueles tipos supercomuns que existem poraí.

- Deve ser. Mas, continuando o nosso questionário, qual a sua pretensão salarial?

- Não estipulo um valor fixo, já trabalhei em cargos de chefia antes e sei que se houver alguma vaga em aberto a remuneração vai ser compatível.

- O senhor estaria disposto a aceitar um emprego de menor remuneração?

- Sim – responde constrangido, cabisbaixo encarando a gravata desbotada.

- Há vários casos de pessoas que conseguiram subir na carreira depois de alguns anos.

- Assim espero – e, segurando um suspiro, pergunta – quais são as vagas que você tem abertas?

- Deixe-me ver. Auxiliar administrativo. Auxiliar de produção. Gerente de almoxarifado. Me diga se alguma chamar a sua atenção. Gerente de transportes. Assessor de logística...

- Só um minuto… basta me dizer qual paga mais, por favor.

- Não quer que eu termine de ler as outras opções?

- Não precisa, é tudo igual – e solta o suspiro que antes estava preso.

- Acho que estou lembrando de onde eu lembro de você: é da televisão, não é? Você não esteve nos noticiários uns dois anos atrás? Era algum escândalo? Você já foi político?

- Não senhora. Deve ser alguém parecido comigo.

- Ok, bem, tenho vários da lista pagando dois salários-mínimos, mas sem benefícios nos primeiros seis meses. Depois deste período, ganha assistência odontológica.

- Ah, isso é muito importante para os sorrisos amarelos.

- Branqueamento? Não sei se o plano cobre isso, o senhor vai ter que se informar na empresa. E então, posso agendar a entrevista para a próxima terça às sete da manhã?

- Fazer o quê? Marque, por favor. E seja o que Deus quiser.

- É claro que existe uma outra possibilidade, se o senhor estiver interessado.

- Estou ouvindo.

- O senhor sabe que nós aqui do atendimento ganhamos muito pouco, não temos direito a horas-extras e o nosso ar condicionado quebrou há dois meses.

- Amham.

- Pois bem, o pessoal tá fazendo uma caixinha de donativos para consertar o ar. Se o senhor quiser contribuir, vo-lun-ta-ri-a-men-te, nesta ação entre amigos, eu poderia deixar o seu nome anotado aqui na nossa lista de amigos do setor, e se surgir alguma vaga especial, daquelas que a gente por aqui costuma chamar de oportunidade de ouro, nós ligamos para aqueles que lembrarmos primeiro.

- Ah, entendi. E a lista de amigos do setor é uma simples ajuda para a memória que vocês usam para lembrar de quais perfis se encaixam nas oportunidades de ouro.

- Isso mesmo, vejo que o senhor entendeu direitinho.

- Vou deixar vinte reais de contribuição.

- Deixe-me ver. Por vinte reais o senhor garante a posição de número dezenove na lista.

- E cinquenta?

- Bem, aí vai pro primeiro lugar.

- Antes que eu pague, você poderia me dizer quanto o segundo lugar deu?

- Lamento, senhor, mas isso é informação confidencial.

- Ok, foi só uma tentativa mesmo. Vou doar os cinquenta mesmo. Faz recibo?

Aforismos - Maio 2013


Escolha qual você gostou mais. Todos escritos por Jefferson Luiz Maleski. Se quiser replicar algum deles, só peço para que mencione a autoria, ok?


Meu número na Escala Kinsey é negativo. Sorry, guys!

Mãe, não apaga a luz porque o escuro tem medo de mim.

Eu sou a cura pra tua carência
Aquele que te aquece sem cobertor
Que te faz suar mesmo no frio
E tremer quando faz calor.

O destino não deveria me cutucar com a vara curta. Uma hora me canso.

Eu falei de você pra minha cama e agora ela não me deixa mais dormir enquanto não te apresentar pra ela.

Não tenho medo dos malucos.
Tenho medo dos normais.

Podemos Repetir o Passado?

Um homem que construiu um mundo de ilusões por amor à uma mulher. Uma sociedade esnobe e mesquinha em que as aparências valem mais que sabedoria. Um jogo de traições em que o mais desprezível sai vencedor. Isto é o que o leitor encontrará em O Grande Gatsby, livro do norte-americano F. Scott Fitzgerald, publicado em 1925, retratando um pouco a frívola sociedade americana pré Grande Depressão. 

Nesta releitura da obra após seis anos (veja a resenha original) ainda continuo a afirmar que o livro permanece na minha lista de melhores leituras de todos os tempos, porém agora por motivos diferentes. Antes, o que me chamou a atenção foi a habilidade do escritor no manuseio das palavras, agora, além disso, o que me maravilhou foram as críticas à sociedade consumista e de felicidade ilusória (american way of life), o deslumbramento de Nick Carraway por Gatsby, tornando-o uma espécie de falso narrador, e a futilidade de alguém se moldar para tentar agradar os que não se importam nem um pouco com ele. Grandes lições em apenas 182 páginas.

A edição da Penguin-Companhia das Letras traz uma introdução e análise da obra de 51 páginas do crítico literário Paul Antony Tenner, recomendável a leitura somente ao final pois contém alguns spoilers (revelações sobre o enredo) que poderiam estragar um pouco a surpresa dos quem leem o livro pela primeira vez.

O livro, que dentre outras já contava com uma adaptação cinematográfica em 1974 com Robert Redford e Mia Farrow, ganhou uma nova superprodução em 2013 com Leonardo DiCaprio e Carey Mulligan, com excelentes figurino e fotografia, mas que vem recebendo algumas críticas negativas por parte dos telespectadores acostumados à finais felizes. Contudo, a história de Gatsby nos lembra que a vida não é um conto de fadas, e que tragédias fazem parte tanto do nosso dia-a-dia quanto da literatura de boa qualidade.


Esta resenha é fruto da parceria com o Empório Gourmet e sua nova seção "Livros que Merecem Bons Vinhos".

Compre o livro no Submarino

Armandinho #2

Vi no Armandinho.

Filmes & Séries Vistos - Maio 2013


16 filmes
6 séries

79. dezesseis luas (beautiful creatures) - eua, 2013 - bom
80. parker - eua, 2013 - regular
81. [série] hemlock grove - eua, 2013 - bom
82. [série] vikings - canadá/irlanda, 2013 - bom
83. o reencontro (the magic of belle isle) - eua, 2012 - muito bom
84. joão e maria: caçadores de bruxas (hansel and gretel: witch hunters) - eua, 2013 - ruim
85. febre do rato - brasil, 2012 - muito bom
86. [série] castle: 5ª temporada - eua, 2012-2013 - bom
87. [série] arrow - eua, 2012-2013 - bom
88. [série] the big bang theory - eua, 2012-2013 - bom
89. bbc horizon: a verdade sobre os exercícios (the truth about the exercises) - inglaterra, 2012 - bom
90. natgeo: teste seu cérebro: ver e não crer (test your brain: you won't believe your eyes) - inglaterra, 2012 - muito bom
91. um refúgio no passado (in my father's den) - nova zelândia/inglaterra, 2004 - excelente
92. terapia de risco (side effects) - eua, 2013 - excelente
93. oz: mágico e poderoso (oz: the great and powerfull) - eua, 2013 - regular
94. finalmente 18! (21 and over) - eua, 2013 - bom
95. [série] the mentalist: 5ª temporada - eua, 2012-2013 - regular
96. homem de ferro 3 (iron man 3) - eua, 2013 - bom
97. fuga do planeta terra (escape of planet earth) - eua, 2012 - bom
98. vinícius - brasil, 2005 - bom
99. novo no pedaço (the new guy) - eua, 2002 - excelente [re-visto]
100. linha de ação (broken city) - eua, 2013 - regular


Minhas Leituras - Maio 2013


8 livros = 2283 páginas

36. a máquina do tempo (1895) - h. g. wells - 148 pgs - muito bom
37. o jogo do exterminador (1985) - orson scott card - 380 pgs - excelente
38. dexter é delicioso (2010) - jeff lindsay - 350 pgs - muito bom
39. leonardo da vinci e seu supercérebro (2003) - michael cox - 176 pgs - bom
40. os três mosqueteiros (1844) - alexandre dumas - 510 pgs - excelente
41. zen em quadrinhos (1994) - tsai chih chung - 159 pgs - excelente [hq] [ebook]
42. tao em quadrinhos (1995) - tsai chih chung - 112 pgs - excelente [hq]
43. inferno (2013) - dan brown - 448 pgs - excelente

Livros Adquiridos - Maio 2013

22 livros = -R$ 213,57

103. hagakure - yamamoto tsunetomo - conrad - r$ 64,63 - www.estantevirtual.com.br (vendido)
104. a coisa vol. 1 - stephen king - planeta deagostini - r$ 36,43 - www.estantevirtual.com.br (vendido)
105. a coisa vol. 2 - stephen king - planeta deagostini - r$ 56,43 - www.estantevirtual.com.br (vendido)
106. box: a metamorfose - franz kafka - companhia das letras - pontos do cartão + r$ 0,93 - www.fnac.com.br
107. box: carta ao pai - franz kafka - companhia das letras - pontos do cartão + r$ 0,93 - www.fnac.com.br
108. box: o processo - franz kafka - companhia das letras - pontos do cartão + r$ 0,93 - www.fnac.com.br
109. box: o veredicto / na colonia penal - franz kafka - companhia das letras - pontos do cartão + r$ 0,93 - www.fnac.com.br
110. box: um artista da fome / a construção - franz kafka - companhia das letras - pontos do cartão + r$ 0,93 - www.fnac.com.br
111. eu sou uma força que avança! victor hugo vol. 1 - max gallo - bertrand - r$ 12,86 - www.walmart.com.br
112. este um sou eu! victor hugo vol. 2 - max gallo - bertrand - r$ 12,86 - www.walmart.com.br
113. a mulher do tenente francês - john fowles - alfaguara - r$ 12,86 - www.walmart.com.br
114. clarice lispector: figuras da escrita - carlos mendes de sousa - ims - r$ 12,86 - www.walmart.com.br
115. hell house: a casa infernal - richard matheson - novo século - troca - www.trocandolivros.com.br (vendido)
116. a metamorfose - franz kafka & peter kuper - conrad - troca - www.trocandolivros.com.br
117. tao em quadrinhos - chih chung tsai - ediouro - troca - www.trocandolivros.com.br (lido)
118. uma confraria de tolos - john kennedy toole - bestbolso - troca - www.skoob.com.br
119. sem deixar rastros - harlan coben - arqueiro - troca - www.skoob.com.br
120. o trono de dragonbone - tad william - siciliano - troca - www.skoob.com.br
121. a doutrina secreta vol. IV - helena petrovna blavatsky - pensamento - troca - www.skoob.com.br
122. 1968: o ano que não terminou - zuenir ventura - planeta - troca - www.trocandolivros.com.br (doado)
123. poemas malditos, gozosos e devotos - hilda hilst - globo - troca - www.trocandolivros.com.br
124. poesia completa de manoel de barros - leya - r$ 8,00 - forum.valinor.com.br

Lista de Livros em A Menina Sem Qualidades (MTV Brasil, 2013)


Esta semana estreou a nova série produzida pela MTV Brasil, A Menina Sem Qualidades, baseado no livro homônimo. O canal, além de disponibilizar os episódios online em seu website, trouxe também um blog com informações sobre a série, atores e até mesmo a lista de músicas escolhidas como trilha sonora para cada episódio. Porém, como a série se refere ou menciona vários livros, lidos pela protagonista Ana ou por outros personagens secundários, senti a falta de uma lista destes livros. Por isso resolvi (tentar) fazer uma à medida que for assistindo os episódios e conseguindo identificar os títulos. Os livros já citados em episódios anteriores não serão repetidos.

A Menina Sem Qualidades / Spieltrieb (Alemanha, 2004), de Juli Zeh. Ada e Alev se conhecem na escola Ernst Bloch e descobrem muitas coisas em comum. A afinidade entre eles torna-se uma dependência obsessiva, que passa a exigir demonstrações de amizade, alheias a barreiras morais ou compaixão. Um romance surpreendente que reflete o status quo da nova Europa, regido pela ausência de responsabilidade acerca do futuro. Encontrado por R$ 48,43 no Buscapé.

EPISÓDIO #1 -------------------------------------------------------------

A Espuma dos Dias / L'écume des Jours (França, 1947), de Boris Vian. Ana conta o enredo andando com Selma. Colin é um rico inventor que cria um instrumento olfativo musical, o pianocktail. Ele se casa com Chloe, mas ela fica doente na lua de mel e a única maneira de tratar a doença é cerca-la de flores, o que consume toda a fortuna de Colin. Encontrado por R$ 38,92 no Buscapé. O filme será lançado em 2013 (ver trailer).
The Blind Owl (Pérsia, 1937), de Sadegh Hedayat. Ana conta o enredo andando com Selma. "A Coruja Cega" é um conto de perda e degradação espiritual. Repleto de simbolismo e imagens surrealistas aterrorizantes, detalha o desespero de um jovem depois de perder um amante misterioso. Como o narrador deriva gradualmente à loucura, o leitor torna-se preso na tempestade de areia de visão sombria de Hedayat da condição humana. Sem tradução para o português, é encontrado por US$ 11.49 em inglês na Amazon. (Dica da Clara V.)
Basho: The Complete Haiku (Japão, 1685), de Matsuo Basho. Ana traduz um haicai para Selma. Os textos de Bashô, mestre incontestável do haikai, são um convite ao leitor para mergulhar na extraordinária experiência de um poeta fundamental para a poesia contemporânea. Sem tradução para o português, é encontrado por US$ 22.46 em inglês na Amazon. Mas há outro livro do mesmo autor traduzido, Trilha Estreita ao Confim, encontrado por R$ 25,20 no Buscapé.
O Jogo da Amarelinha / Rayuela (Argentina, 1963), de Julio Cortazar. Professor o cita na sala de aula. O livro teve imediatamente uma recepção extraordinária nas mais variadas línguas e latitudes. Vivia-se um tempo de rupturas. Na política, nas artes, nos costumes, por toda parte o novo forçava passagem para se substituir ao velho. E por toda parte este livro capturou, com sua ousadia formal, com seus personagens inesquecíveis, com sua visão de mundo complexa e sensível, a atenção de multidões de leitores. Encontrado por R$ 44,80 no Buscapé.

EPISÓDIO #2 -------------------------------------------------------------

??? - Ana lê um livro na cama. O título aparece desfocado.

EPISÓDIO #3 -------------------------------------------------------------

O Homem Sem Qualidades / Der Mann ohne Eigenschaften (Áustria, 1930-1943), de Robert Musil. Alex cita como livro favorito e Ana lê na banheira. Ulrich vive diversas experiências, viaja ao exterior e, às vésperas da Primeira Guerra Mundial, retorna a Viena. Convive com os mais diversos tipos humanos. Este romance-ensaio mostra a decadência dos valores vigentes até o início do século XX, marcando a perda de posição da Europa na decisão dos rumos políticos e econômicos mundiais. Encontrado por R$ 69,22 no Buscapé.
2666 (Chile, 2004), de Roberto Bolaño. Escrito no quadro-negro e citado pelo professor na aula. Fiel aos dois principais temas que atravessam toda a obra do autor chileno - violência e literatura - o livro é composto de cinco romances, interligados por dois dramas centrais: a busca por um autor recluso e uma série de assassinatos na fronteira México-Estados Unidos. Recheado de reflexões sobre a natureza do mal, a relação entre cultura e violência e, de quebra, a situação do intelectual latino-americano, 2666 é um livro inteligente, surpreendente e de leitura fácil. Encontrado por R$ 35,91 no Submarino.

O Senhor dos Anéis / The Lord of the Rings (Inglaterra, 1954-1955), de J. R. R. Tolkien. Ana cita na sala de aula. Reúne a trilogia formada por A Sociedade do Anel, As duas torres e O retorno do rei, sendo um ótimo começo para os que mergulham pela primeira vez num mundo em que história e fantasia se confundem a cada página, num emaranhado de acontecimentos improváveis, mas absolutamente convincente em seus detalhes. Encontrado por R$ 97,81 no Buscapé.

EPISÓDIO #4 -------------------------------------------------------------


A Evolução da Cooperação / The Evolution of Cooperation (EUA, 1984), de Robert Axelrod. Alex empresta para Ana, que depois aparece lendo na banheira. O livro relata os famosos torneios de computador em que o programa de cooperativismo "Olho por Olho" registrou vitórias impressionantes, explica sua aplicação a um amplo espectro de temas e sugere como os leitores podem empregar os principios de cooperação, tanto nas vidas pessoais quando ensinando a outros. Encontrado por R$ 43,31 no Submarino.
EPISÓDIO #5 -------------------------------------------------------------

Não houve citações de livros no episódio.

EPISÓDIO #6 -------------------------------------------------------------

Não houve citações de novos livros no episódio.

EPISÓDIO #7 -------------------------------------------------------------

Não houve citações de livros no episódio.

EPISÓDIO #8 -------------------------------------------------------------


Bestiário (Argentina, 1951), de Julio Cortázar. Professor o cita na sala de aula. Coleção de oito contos, onde uma casa é ocupada à revelia dos donos, coelhinhos são vomitados por um suicida, uma esquizofrênica, os ramos de flores e seus sombrios e estranhos donos dentro de um ônibus, as dores de cabeça de uma gente indefinível, os bombons de uma noiva, a negra tirada de um cabaré às portas do céu, e o tigre que ronda uma casa. Encontrado por R$ 26,00 no Submarino.

Museu do Romance da Eterna / Museo de la Novela de la Eterna (Argentina, 1967), de Macedonio Fernandez. Aparece projetado no quadro atrás do professor enquanto conversa com Alex. Escrito de 1904 até o fim da vida de Macedonio, que não chegou a vê-lo publicado, avança a partir de uma série de prólogos que precedem uma história que parece nunca chegar - a história de um homem, que depois da morte da esposa, decide deixar a cidade e refugiar-se no campo, em uma estância cujo nome é O Romance. Encontrado por R$ 32,40 no Buscapé.

EPISÓDIO #9 -------------------------------------------------------------

Não houve citações de novos livros no episódio.


EPISÓDIO #10 -------------------------------------------------------------

História da Inteligência Brasileira (Brasil, 1976) - Wilson Martins. O novo professor de história cita na sala como um livro pequeno, rápido de ser lido. A homérica obra dividida em 7 volumes e com mais de 4.000 páginas, procura contar a história da formação cultural, literária e da inteligência brasileira, abarcando desde o ano de 1550 até 1960. Relançada em 2010 pela UEPG é encontrada por R$ 45,00 (cada volume) no Buscapé.