Pep Talk 2008: Kelley Armstrong

Introdução

O QG do NaNoWrimo presenteou os participantes em 2008 com 9 mensagens de escritores consagrados, os famosos Pep Talks ("conversas estimulantes" ou orientações da equipe de apoio para que um concorrente se saia bem na disputa), com dicas para vencer obstáculos na escrita, abusando da criatividade e profissionalismo para levantar o astral dos aspirantes a escritor. O ebook com os Pep Talks de seis anos anteriores - 80 páginas em PDF - é vendido no site do NaNoWrimo mas, como participei (e venci) este ano, vou traduzir e postar todas que recebi. Os posts serão em dezembro, nos mesmos dias em que foram enviadas por email, originalmente, em novembro. Como não sou tradutor profissional, apesar da boa intenção e esmero, podem aparecer erros e agradeço a quem sugerir correções. A ordem dos Pep Talks será:
  1. Jonathan Stroud (dia 5)
  2. Philip Pullman (dia 7)
  3. Katherine Paterson (dia 12)
  4. Meg Cabot (dia 14)
  5. Janet Fitch (dia 20)
  6. Gayle Brandeis (dia 22)
  7. Nancy Etchemendy (dia 25)
  8. Piers Anthony (dia 30)
  9. Kelley Armstrong (dia 3 - post-event)

Tradução (por Jefferson Luiz Maleski)

Caro Colega Escritor NaNo,

Então, está tudo acabado. Como você conseguiu? Se atingiu as 50.000 palavras, parabéns! Se não atingiu, mas deu o seu melhor tiro, parabéns! Quer a contagem de palavras tenha sido alcançada ou não, agora você tem uma nova história. O que acha dela?

Quando voltar a pensar sobre o que escreveu, você pode ficar emocionado. Pode ficar espantado com o que produziu. Ou talvez não... Você pode ficar desapontado. Pode sentir que acabou de desperdiçar um mês e uma idéia incrível. Mas não. Confie em mim. Eu já passei por isso.

O meu primeiro NaNo foi em 2005. Eu tinha ouvido sobre ele há anos. Até então, eu já tinha sido publicada, mas pensei que seria um grande exercício para os membros da comunidade de escrita on-line se eu mostrasse um quadro de conselhos. Porém, para apoiar e incentivar de verdade os membros, eu precisava aceitar o desafio ao seu lado. E eu sabia exatamente que queria escrever o primeiro esboço de uma idéia que tinha brincado há anos, a história de um jovem colocado em meu universo Otherworld.

Então, escrevi o romance, chamado The Summoning, e neste verão, The Summoning foi lançado entrando para a lista dos mais vendidos livros infantis do New York Times. Isto soa muito mais impressionante se disser que o romance que escrevi para o NaNoWriMo não é a mesma versão que foi publicada.

O que o NaNoWriMo me deu foi um primeiro projeto rápido e sujo, e até o final do mesmo, eu via que o meu livro tinha algumas coisas boas... e alguns problemas graves e oportunidades perdidas. Então o coloquei de lado por um período de repouso e pensei como consertá-lo enquanto trabalhava no meu próximo romance assinado. O manuscrito sofreu uma revisão significativa, reformulação e, sim, foi reescrito, antes que eu deixasse o meu agente levá-lo ao mercado.

Se um autor multi-publicado não consegue esperar para publicar o primeiro projeto durante o NaNoWriMo, então você também não vai conseguiu. Claro que você poderia – algumas pessoas fazem – mas o que o NaNoWriMo lhe deu é, pelo menos, duas coisas que você não tinha em 1 º de novembro.

O primeiro prêmio irá variar. Talvez você tenha o primeiro rascunho com que poderia trabalhar. Ou talvez perceba que a sua idéia não foi tão digna de um romance como pensava. Ou talvez, no curso da escrita deste livro, você terá uma idéia para outro.

Os dois últimos podem não parecer tão gratificantes como o primeiro, mas eles são igualmente importantes. Quando você for escritor por um tempo, provavelmente terá histórias em que trabalhou por meses, anos, antes de perceber que a idéia não era digna de um romance. Para alcançar a realização de ter um mês livre para começar algo novo sem depois lamentar que você gastou em uma história que não funcionou.

A segunda é uma recompensa que cada participante NaNoWriMo adquire: um mês inteiro de prática de escrita. É raro o escritor que publica o primeiro livro que escreveu – eu não publiquei – então a prática é inestimável. Independente se você sonha em conseguir publicá-lo ou não, você gastou apenas um mês descobrindo e explorando o prazer de contar histórias.

Ah, e no caso de você me perguntar, sim, eu alcancei as 50.000 palavras este ano. No entanto, acabei gritando vitória só no sábado. Posso culpar a minha quase derrota por causa do mês de viagens de divulgação e edições precoces inesperadas, mas como sou um escritor de tempo integral, então realmente não tenho desculpa para não alcançar as 50.000 palavras. Para os que alcançaram o objetivo, apesar da escola ou trabalho ou crianças, eu os reverencio.

Vou deixá-lo voltar para o seu descanso pós-NaNo, logo após desejar boa sorte com o seu manuscrito – este ou o próximo. Mesmo porque, se você não estiver planejando editar este, não haverá um próximo, certo? Eu espero que haja. O mundo sempre precisa de mais contadores de histórias.

Kelley

Kelley Armstrong é autora da série Otherworld. Para saber mais sobre ele e o seu trabalho, visite o seu website.

Leia também o texto original em inglês.
Postar um comentário