José Saramago

Em vez de as pessoas ouvirem os escritores em busca de respostas sobre o que somos, precisam ouvir umas às outras, porque nós, autores, não somos mais do que meros trabalhadores das palavras e temos limites como todos.

Há coisas que nunca poderão se explicar por palavras.

O espelho e os sonhos são coisas semelhantes, é como a imagem do homem diante de si próprio.

Quem acredita levianamente tem um coração leviano.

Sempre chega a hora em que descobrimos que sabíamos muito mais do que antes julgávamos.

Ser homem não deveria significar nunca impedimento a proceder como um cavalheiro.

O que as vitórias têm de mau é que não são definitivas. O que as derrotas têm de bom é que também não são definitivas.

Gostar é provavelmente a melhor maneira de ter, ter deve ser a pior maneira de gostar.

Somos todos escritores, só que alguns escrevem e outros não.

José de Sousa Saramago (1922-) é escritor português e ganhou o Prêmio Nobel de Literatura em 1998 e o Prêmio Camões em 1995. É conhecido como ateu e comunista ativo. Seu livro mais famoso é O Evangelho segundo Jesus Cristo.
Postar um comentário