Top Five 2012: os melhores FILMES vistos durante o ano

É chegada a hora de fazer o retrospecto dos melhores filmes assistidos em 2012, independente se lançados durante o ano ou antes. Como sempre, deixo de fora os que re-vistos. Notei que este anos vi poucos documentários, uma pena, pois aprecio muito. É algo a corrigir em 2013. E vale a pena repetir quais foram os meus critérios para a seleção: 1) os que não me canso de rever e até sinto prazer nisso; 2) os que guardo uma cópia de emergência para repassar a todos os amigos; 3) os que a trilha sonora me cativa; 4) os que fazem me interessar por outras obras do diretor ou dos atores protagonistas; e 5) os que passam a fazer parte das minhas conversas e citações cotidianas.


1. Intocáveis (Les Intouchables), França, 2011. Nota IMDB: 8,6. Uma comédia dramática que aborda a amizade entre um multimilionário tetraplégico e o seu auxiliar de enfermagem nada convencional. Baseado no livro autobiográfico de Philippe Pozzo di Borgo, teve o dinheiro arrecadado com a venda dos direitos da adaptação para o cinema doado a uma associação de ajuda a deficientes físicos. A trilha sonora faz uma boa mistura entre música clássica e ritmos dos anos 80.


2. Amor Verdadeiro (Totally True Love / Jørgen + Anne = Sant), Noruega, 2011. Nota IMDB: 6,8. Anne, de 10 anos de idade, se apaixona pela primeira vez. Ela precisa aprender a lidar com os seus sentimentos enquanto batalha com uma rival da escola. A amizade com Beate e o tom de fábula em algumas passagens o transformam em algo gostoso de se ver/rever, exalando uma inocência infantil que não costumamos presenciar tão bem retratada em filmes. A trilha sonora, produzida especialmente para o filme, é um show à parte. Veja uma amostra.


3. O Som do Ruído (Sound of Noise), Suécia, 2010. Nota IMDB: 7,1. Um verdadeiro Clube da Luta musical. Amadeus Warnebring, um policial sem capacidades musicais, vem de uma família respeitada no mundo da música. Ele terá que perseguir e pegar um grupo de anarquistas que espalham um terror diferente pela cidade. Apesar de ser uma comédia, traz interessantes reflexões filosóficas sobre ordem vs. anarquia.


4. O Segredo da Cabana (The Cabin in the Woods), EUA, 2011. Nota IMDB: 7,2. Há tempos que não assistia a um bom terror. E este além de ser uma gostosa homenagem aos famosos 'terrir' dos anos 80, faz uma excelente releitura estilo ficção lovecraftiana (se é que isso é possível). Cinco amigos vão passar uns dias numa cabana no meio da floresta sabendo que há algumas regras bem claras a serem cumpridas no local. Tudo, no entanto, leva as pessoas a quebrarem essas regras, o que obviamente garante uma severa punição a eles. Pra mim, o filme já nasceu clássico.


5. A Pele que Habito (La Piel que Habito), Espanha, 2011. Nota IMDB: 7,6. A dobradinha entre Pedro Almodóvar e Antonio Banderas desta vez deixa uma sensação bem desconfortável nos homens, e por isso é muito bom. Roberto Ledgard é um cirurgião plástico em busca de vingança por sua filha. Mas uma vingança bem doentia e diferente, capaz de mudar a vida de muita gente.

Veja também:
Top Five 2011: os melhores FILMES vistos durante o ano
Postar um comentário