O Homem que Desafiou o Diabo, 2007

Ouça o que vou lhe dizer:
Vida longa eu não alcanço
Na orgia ou no prazer
Mas enquanto eu não morrer
Bebo, fumo, jogo e danço
Me censure quem quiser
Enquanto vida eu tiver
Cumprindo essa sina venho
E além dos vícios que tenho
Sou perdido por mulher.

[...]

O meu nome é Lombroso torado no grosso
E eu sou que ném a cascavel, quando não aleja mata
Tenho a maldade da onça, tenho a ruindade que arrasta
Minha baba é peçonhenta e arde mais que a brasa
Tá vendo essa cacunda? É por onde sou mais forte
Carrego nas minhas costas 132 mortes
Vá me dizendo seu nome, pronde vai e donde vem
E se já viu nesse mundo um camarada mais feio.
...
O meu nome é Ojuara, eu vim de longe e vou em frente
E o senhor não é mais feio que certo tipo de gente
Feio é herança do homem, herança de Caim,
Praga de mão ofendida, tentação do Coisa-ruim,
Feio é aquela sombra escura que vai levando consigo o covarde que traiu a confiança do amigo
A beleza e a feiúra tão junta em toda parte
Há beleza inté na morte e feiúra inté na arte
Olhe seu rosto no espelho e não perca a esperança
Porque foi Deus que lhe fez à Sua imagem e semelhança.

[...]

- Esse mundo é muito esculhambado: num tem cumeço, num tem fim, cheio de maldade, num tem reta, é tudo torto.
- Pelo menos é divertido.
- É, isso num é mentira não.


Mais informações: IMDB (ING) Warner Bros (BR)
Excelente
Filme adaptado do romance As Pelejas de Ojuara do escritor Nei Leandro de Castro.
Postar um comentário