O Inferno pode ser aqui

Ele pode ser chamado de escritor de fórmulas prontas e repetitivas; de levantar teorias conspiratórias das mais improváveis contra instituições - conhecidas ou não - somente para promover os seus livros. Mas o estadunidense Dan Brown nunca poderá ser acusado de não fornecer uma gama de informações e curiosidades sobre personagens históricas, lugares e obras de arte como pinturas, arquiteturas, esculturas, livros etc. em suas tramas. Seus livros são verdadeiros guias turísticos para as cidades em que a ação se desenrola. E esta característica se mantém no livro Inferno, lançado em 2013 pela Editora Arqueiro.

A aventura acontece nas cidades de Florença, Veneza e Istambul, onde o leitor é levado a um passeio pelos principais pontos turísticos, ao sabor dos escritos de Dante Alighieri e das obras de arte influenciadas por A Divina Comédia. Na trama, mais uma vez cabe ao professor de simbologia, Robert Langdon, a tarefa de desvendar as pistas que levarão até a captura do vilão e salvar o mundo de uma ameaça global.

Também são levantadas algumas questões filosóficas, éticas, religiosas ou científicas para o leitor, sendo uma delas: se você pudesse apertar um botão que matasse na hora metade da população mundial indistintamente ou não apertar e ver toda a raça humana se extinguir em algumas décadas, o que escolheria? Os fins justificariam os meios? Se você não sabe o que responder ou ainda não pensou sobre isso, na verdade já fez a sua escolha, conforme demonstra o livro.

Esta resenha é fruto da parceria com o Empório Gourmet e sua nova seção "Livros que Merecem Bons Vinhos".


Postar um comentário