Pablo Neruda

Morre lentamente quem não viaja, quem não lê, quem não ouve música, quem não encontra graça em si mesmo.

Nega-me o pão, o ar, a luz, a primavera, mas nunca o teu riso, porque então morreria.

A verdade é que não há verdade.

A poesia tem comunicação secreta com o sofrimento do homem.

É tão difícil as pessoas razoáveis se tornarem poetas, quanto os poetas se tornarem razoáveis.

A timidez é uma condição alheia ao coração, uma categoria, uma dimensão que desemboca na solidão.

Dois amantes felizes não têm fim nem morte, nascem e morrem tanta vez enquanto vivem, são eternos como é a natureza.

Os poetas odeiam o ódio e fazem guerra à guerra.

Pablo Neruda (1904-1973) foi um poeta chileno e ganhou o Prêmio Nobel de Literatura em 1971.
Postar um comentário