Cartas de mim, ao meu eu passado

Rola pelo Orkut e por alguns sites da internet um jogo-brincadeira interessante, que revela um pouco sobre quem somos hoje e o que gostaríamos que mudasse em nosso passado. Consiste em escrever uma carta, com o seguinte mote:

Se você tivesse a chance de mandar uma carta para você mesmo no passado, o que escreveria?

Conheci o jogo no fórum de literatura Meia Palavra e deixei lá a minha contribuição. Abaixo vai uma versão adaptada para o blog da que postei por lá. E deixo aberto para que você possa também brincar, seja escrevendo a sua carta na caixa de comentários, ou em um post no seu próprio blogue (só não esqueça de deixar o link nos comentários para eu ler depois).
Dear Jeff of 1992,

Como sei que você ainda não manja nada de inglês, vou traduzir: Seu grande viado de 1992,

O que você está esperando pra comer a Kênia? Tá com medo só porque ela tem 14? Ou porque você é virgem aos 16? Ou porque o pai dela é fazendeiro no interior de Goiás e gosta de exibir a coleção de armas quando você vai na casa dela? Frouxo! Covarde! Viadiiiiiinho... Aproveita agora porque depois ela vai ficar gorda e feia e vai dar pra todo mundo menos pra você, otário. Ah, e vai por mim, o negócio é bem melhor do que você acha, quando fica imaginando a Xuxa no banheiro.

1 abraço,

Jeff de 2009
***
Caro Jefferson de 2009,

Cara, porque você foi inventar de mandar uma carta para o nosso eu de 92? Aquilo só deu merda! A menina engravidou e os jagunços do pai dela acharam a gente (você e eu) quando fugimos pra casa da tia no Paraná. Agora você esta casado com uma gorda feia que dá pra todo mundo menos pra você. E não pode nem pensar em se separar, não com os 8 filhos que você tem pra criar, já que quem cuida da casa agora é você, palhaço. Então, vai por mim, não escreve a porra de carta pro passado coisa nenhuma, deixa a coisa como está. Ou então escreva, mas só de sacanagem, manda pro carinha que tá lendo o texto no blog.

Juízo,

Jefferson de 1997
Postar um comentário