Os 10 livros mais abandonados

Recentemente, um post no Meia Palavra me relembrou dos Direitos Imprescritíveis do Leitor, que já havia publicado aqui no blog tempos atrás. Alguns leitores admitiram francamente que não são capazes de exercerem os direitos nº 2 e 3, chegando até mesmo a nomeá-los como crimes. Os dois direitos em questão são:
  • O direito de saltar páginas.
  • O direito de não terminar um livro.
Na hora eu lembrei de um dos poucos livros que não consegui terminar a leitura em 2010: O Enigma do Quatro, de Ian Caldwell e Dustin Thomason. Daí a curiosidade bateu e resolvi consultar o Skoob para ver quais são os TOP10 livros abandonados por lá. A classificação abaixo foi feita em cima da porcentagem de leitores que os abandonaram em relação ao número total que leram o livro. Não computei os livros com menos de 100 leitores, pois amostragens pequenas invalidam qualquer pesquisa. Os dados são de hoje, 31/12/2010.
  1. Ulisses, de James Joyce: 49% de abandonos;
  2. Atlantis, de David Gibbins: 27% de abandonos;
  3. O Mundo de Sofia, de Jostein Gaarder: 24% de abandonos;
  4. O Enigma do Quatro, de Ian Caldwell e Dustin Thomason: 17% de abandonos;
  5. Bíblia Sagrada, diversos autores: 17% de abandonos;
  6. A Divina Comédia, de Dante Alighieri: 16% de abandonos;
  7. A Cabana, de William P. Young: 12% de abandonos; 
  8. Memorial do Convento, de José Saramago: 11% de abandonos; 
  9. Notícia de um Sequestro, de Gabriel Garcìa Márquez: 11% de abandonos;
  10. A Menina que Roubava Livros, de Markus Suzak: 10% de abandonos;
Bem, a lista acima foi dos livros que pesquisei. É claro que podem ter livros com uma porcentagem maior do que esta de abandonos, mas teria de verificar um por um, o que não dá pra fazer sozinho. Por isso, peço ajuda aos leitores, vocês conhecem algum livro com a porcentagem maior de abandonos que os acima? Basta lembrar do livro mais chato que já passou pela sua frente e mandar o nome dele que calculo aqui rapidinho se ele entra nos TOP10.

Um detalhe interessante é que não aparece nenhum livro brasileiro na lista acima, já que a taxa de abandono deles gira em torno da "normalidade" ou média aceitável de 5%. Trata-se de uma estatística interessante quando lembramos o tanto que a literatura brasileira ainda é vista com maus olhos pela maioria dos leitores e dos não leitores daqui.

O resultado acima não significa que todos os livros listados sejam ruins. Eu mesmo já li O Mundo de Sofia e A Menina que Roubava Livros, e a leitura deles além de fluir muito bem me estimulou nas áreas da filosofia, história e fantasia. Inclusive, recomendo a leitura dos três para todos os que me pedem referências sobre eles. Acredito que Ulisses e A Divina Comédia apareçam na lista por sua complexidade, que muitos leitores não estão acostumados hoje. Em compensação, não recomendo Atlantis e O Enigma do Quatro nem para os meus inimigos.
    Postar um comentário