TEMA: A Metamorfose de Kafka

Parece que o blogue Duelo de Escritores voltou com a corda toda, depois da renovação de alguns competidores, uso de um domínio próprio ao invés do blogspot e das férias de fim/começo de ano. E como a proposta de escrita da semana me interessou, resolvi ressucitar e escrever o meu exercício também. Seguem as regras da brincadeira:

Um dos começos mais icônicos da literatura universal é a abertura da obra A Metamorfose, de Franz Kafka. Para quem ainda não leu (sacrilégio!), a história narra a desventura do “caixeiro viajante Gregor Samsa, que acorda um dia transformado em um inseto e, subitamente, deixa de ser o arrimo da família para se tornar um problema cada vez mais incontornável para seus pais e irmã”. (das palavras de Adriano Schwartz, editor-adjunto do Mais!)

Segue a abertura, da tradução de Marcelo Backes:

“Certa manhã, ao despertar de sonhos intranquilos, Gregor Samsa encontrou-se em sua cama metamorfoseado num inseto monstruoso”.

Um tempo atrás, a Folha propôs um exercício interessante para vários escritores brasileiros: reescrever, cada um a seu modo, o primeiro período de A Metamorfose. [...] O que eu proponho aos colegas duelistas é repetir esse exercício. Não se trata de querer reescrever A Metamorfose ou plagiar Kafka, mas sim de prestar uma homenagem, de subverter, cada um ao seu modo, de acordo com seu estilo próprio, essa grande obra. Se alguém não leu, é uma boa oportunidade: o livro é curtinho, dá pra terminar em uma hora. Pode-se reescrever somente o primeiro período, como a Folha propôs, ou ir mais adiante e avançar na história. Fica a critério de cada um.

"Ao acordar à tardinha, com a maior larica e depois de dormir o dia inteiro por causa da farra da noite anterior, Gregório Sousa levantou-se (se sonhara com alguma coisa não lembrava) para descobrir que todos no mundo haviam se metamorfoseado em insetos monstruosos." - JLM
Postar um comentário