Caminho comum

A religião é um dos inúmeros modos de se alcançar o divino, só que com as asas da espontaneidade amarradas.

(Jefferson Luiz Maleski)

4 comentários:

  1. Apoiado! Tenho defendido o desapego à religião há muito no meu blog: www.celebraii.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Olá Jeff, agradeço sua visita no meu blog. Você é sempre bem-vindo. Seus comentários me interessam. No entanto, quanto a religião, se ela obedecesse o sentido etimológico, seria sim, uma coisa excelente para a humanidade, contudo, como o que se vê é uma efetivação do sentido sociológico e alienante, a religião é um fim em si mesma, não chega a lugar algum. Alienta, prende, rouba, cega e condena em nome de Deus.

    Abs.

    ResponderExcluir
  3. will, sei disso e ñ discordo de vc, e acrescento mais: usando as mesmas palavras do seu comentário, poderíamos condenar tb a ciência, a arte e a política atuais.

    ao invés, prefiro tentar separar oq há de bom nelas e tirar proveito. afinal, tudo oq existe de deturpado teve um começo puro, q foi abandonado em prol de objetivos mais mesquinhos. esta origem da religião (o religare), aquela q joseph campbell estudou e definiu tão bem, é a q me interessa.

    ResponderExcluir
  4. Sim. É só o religiare (etimologia) que me interessa. Sendo assim, não é um grupo de pessoas ou uma instituição que religa-nos a, neste caso específico, Deus. Há uma pessoa. Uma única pessoa que foi e é capaz de religar-nos ao divino: Jesus de Nazaré.

    ResponderExcluir

Isso aqui não é uma democracia. Portanto, escreva o que você quiser, mas eu publico somente os comentários que EU quiser.