Rapidinha do dia nº 5

Recordar é viver e Viver é recordar

Uma vez adolescente, fiquei com a garota mais bonita que jamais havia ficado até então, numa festa. Inexperiente, ruim de papo, a única coisa que sabia era beijar. Num intervalo para recuperar o fôlego, surgiu o monstro do silêncio constrangedor. Os olhos dela imploravam que eu dissesse algo. E eu, sob a luz do luar, disse, em minha primeira tentativa poética que me vem à lembrança, que os olhos dela brilhavam como estrelas e que aquele brilho fazia bem ao meu coração. Não voltamos a ficar de novo, mas dias depois soube que ela havia espalhado a todas as amigas que eu era o carinha que dizia coisas nada a ver. Semanas depois, ela engravidou. E eu aprendi a lição, ao invés de dizer palavras poéticas meto logo a mão debaixo da blusa da danada.
Postar um comentário