Rapidinha do dia nº 5

Recordar é viver e Viver é recordar

Uma vez adolescente, fiquei com a garota mais bonita que jamais havia ficado até então, numa festa. Inexperiente, ruim de papo, a única coisa que sabia era beijar. Num intervalo para recuperar o fôlego, surgiu o monstro do silêncio constrangedor. Os olhos dela imploravam que eu dissesse algo. E eu, sob a luz do luar, disse, em minha primeira tentativa poética que me vem à lembrança, que os olhos dela brilhavam como estrelas e que aquele brilho fazia bem ao meu coração. Não voltamos a ficar de novo, mas dias depois soube que ela havia espalhado a todas as amigas que eu era o carinha que dizia coisas nada a ver. Semanas depois, ela engravidou. E eu aprendi a lição, ao invés de dizer palavras poéticas meto logo a mão debaixo da blusa da danada.

3 comentários:

  1. Ainda bem que fostes poético e devagar, caso contrário podias ser tu o pai da criança.

    ResponderExcluir
  2. é como já dizia aquele velho deitado: há males q vem para o bem.

    ResponderExcluir
  3. primeira vez que to visitando o seu site. Adorei! Eu comecei a ler o livro "Eu receberia as piores notícias dos seus lindos lábios" e fiz uma busca de imagem que fosse ligada a algum sitesobre o autor. Bom... resumindo, ca estou! Agora - aproveitando a deixa - em relação a este conto, só digo outra frase das famosas: Se não fosse trágico, seria cômico. Parabéns pelo site! beijo! Raíssa C.

    ResponderExcluir

Isso aqui não é uma democracia. Portanto, escreva o que você quiser, mas eu publico somente os comentários que EU quiser.