As Relações Perigosas, de Choderlos de Laclos


Poderá haver prazer com as pudicas? E refiro-me às de boa-fé: reservadas até no próprio prazer, não vos oferecem senão meios gozos. Esse inteiro abandono de si mesmo, esse delírio da volúpia em que o prazer se apura pelo excesso, esses bens do amor não o conhecem elas. (Carta IV)

A humanidade não é perfeita em nenhum gênero, tanto no mal quanto no bem. O celerado tem suas virtudes, como o homem de bem tem suas fraquezas. (Carta XXXII)

Se os primeiros amores parecem em geral os mais honestos e, como dizem, os mais puros, se são, pelo menos, mais lentos em sua marcha, não se trata, como se pensa de delicadeza ou timidez: é porque o coração, espantado com um sentimento desconhecido, pára, por assim dizer, a cada passo, para gozar o encanto que experimenta, e que esse encanto é tão forte num coração novo que o ocupa a ponto de fazê-lo esquecer qualquer outro prazer. (Carta LVII)
Postar um comentário